Oração para São Domingos de Gusmão

O santo criador da ordem dos Dominicanos, São Domingos de Gusmão é um dos mais adorados santos espanhóis até hoje. O santo, que de certa forma teve a vida profetizada pela própria mãe, era devoto de Nossa Senhora e é conhecido por ter dado origem a um cordão de contas usado para dar apoio às orações: o rosário. São Domingos de Gusmão é padroeiro dos astrônomos, da cidade de Tocantins e da República Tcheca.

Oração

Ó São Domingos, zeloso pregador do Evangelho, que sempre foste sensível diante das misérias alheias, estende até nós as promessas que fizeste aos que choravam e passavam por dificuldades, de ajudar-nos lá dos céus com tuas preces.

Ó Deus, que fizestes resplandecer a Vossa Igreja com a obra da pregação de vosso servo São Domingos, concedeis a todos os homens os bens necessários para viverem dignamente, mas sobretudo, abundância de bens espirituais.

Amém.

História de São Domingos de Gusmão

Oração para São Domingos de Gusmão

Imagem: Reprodução

Filho caçula de Joana de Aza e Dom Félix de Gusmão, Domingos nasceu no dia 24 de junho de 1170, na cidade de Caleruega, na Espanha. A mãe de Domingos, cristã e bondosa, teve um sonho antes de dar a luz: Um cão com uma tocha acesa na boca caminhava sem parar. Joana foi procurar o monge de um mosteiro próximo para saber o significado do sonho. Disse o monge: Seu filho será fervoroso pregador do evangelho e com sua palavra atrairá muitos à conversão. Na interpretação o cão representava São Domingos, que seria fiel a Deus assim como o cão é fiel ao dono, e a tocha acesa era a palavra e Deus, que ilumina aonde chega.

São Domingos foi criado pela mãe até os oito anos e depois foi entregue a um tio padre, que lhe ensinou matérias básicas, mas foi estudando teologia na Universidade de Valência que Domingos ouviu o chamado de Deus e ordenou-se sacerdote.

Durante uma viagem feita pelo norte da Europa São Domingos nota que o cristianismo é pouco difundido no local e decide se dedicar a evangelizar o local com a ajuda de alguns outros sacerdotes. As dificuldades foram muitas e por vezes Domingos teve que evangelizar sozinho, mas esse foi o início da Ordem dos Pregadores, conhecida também como Ordem Dominicana, cujo nome teve origem na expressão em latim “Domini Canis”, que significa “Cães do Senhor” em português.

A Ordem

As principais características dos Dominicanos são a espiritualidade; o devotamento a Igreja, as almas, ao culto da verdade e a ação sacerdotal, sobretudo na pregação. E o lema da Ordem é “Dar aos outros o fruto da nossa contemplação”.

Domingos respeitava os homens de fé que viviam enclausurados nas abadias, mas sempre dizia que era preciso agir, sair por aí e anunciar o evangelho para que ele chegasse a todos.

As dificuldades

Mesmo com todo o fervor com que Domingos se dedicava as pregações durante alguns anos foram poucas as conversões. Era uma época de corações endurecidos e muitos pareciam não dar ouvidos as doces palavras de São Domingos.

O santo, num dia em que estava muito triste, decidiu orar a Deus para saber o motivo de tantas dificuldades e entrou numa floresta para ficar lá como penitência até obter respostas. Por ser muito devoto de Nossa Senhora, a todo momento Domingos pedia pela intercessão da santa e entoava a Salve Rainha. No terceiro dia, quando já estava muito fraco, São Domingos teve uma visão de Maria Santíssima onde ela disse que para ganhar os corações endurecidos era preciso utilizar-se da saudação angelical, a Ave Maria. E que ele deveria, portanto rezar e propagar a “coroa de rosas” dela.

O santo saiu da floresta e foi diretamente para uma catedral tentar mais uma vez converter um grupo de pessoas. Nesse momento ele falou sobre as maravilhas do rosário de Maria Santíssima e o grupo de pessoas se arrependeu dos seus pecados e começou também a rezar o rosário.

O fim da vida

Foi São Domingos de Gusmão que inventou o cordão de contas chamado de rosário, por isso ele é considerado seu grande apóstolo e foi Nossa Senhora que conduziu todas as pessoas para os braços de Deus através das palavras do santo.

Em 06 de agosto de 1221, com apenas 51 anos, São Domingos de Gusmão despediu-se da vida, mas só foi canonizado 13 anos depois, pelo Papa Gregório IX.