Oração para Santa Paulina

Nascida na Itália, mas radicada no Brasil, Santa Paulina foi uma jovem imigrante que adotou o Brasil como sua verdadeira casa e tratou todos aqui como seus irmãos. Ela foi a fundadora da Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição, que hoje já chega ao seu segundo século de existência e possui vários seguimentos de ajuda à população. A santa é celebrada no dia 9 de julho, aniversário de sua morte.

Oração

Ó Santa Paulina, que puseste toda a confiança no Senhor e em Seu santo filho. Inspirada por Maria Santíssima, decidiste ajudar o povo sofrido e inspira tantos de nós. Te confiamos as nossas preces para que nos ajude a ser como tu foste. Pedimos, querida Santa Paulina, que interceda por nós, junto a Jesus, a fim de que tenhamos a coragem de lutar sempre, na conquista de um mundo mais humano, justo e fraterno. Amém.

História de Santa Paulina

Oração para Santa Paulina

Conheça sua oração e também a sua bela história de devoção e caridade. | Imagem: Reprodução

Paulina nasceu no dia 16 de dezembro do ano de 1865 em Vígolo Vattaro, uma cidade do Trento no norte da Itália. Ela foi batizada com o nome de Amábile Lúcia Visintaine e viveu em sua cidade natal até os 9 anos de idade, quando junto aos seus pais, irmãos e outras famílias da região imigrou para o Brasil. Em território brasileiro, Amábile ficou em Vígolo, uma cidadezinha perto de Nova Trento, Santa Catarina. Desde muito pequena ela sempre ajudou na Paróquia da cidade, especificamente na Capela de Vígolo, como paroquiana engajada na vida social e pastoral. Ela participou de grupos jovens que ajudaram na compra da imagem de Nossa Senhora de Lourdes – ainda conservada na gruta do santuário – e no ano de 1890 deu início à Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição, juntamente com sua amiga Virginia Rosa Nicolodi.

A Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição estava indo muito bem e no ano seguinte a segunda companheira juntou-se às duas amigas, Teresa Anna Maule. Três anos depois, o trio se transferiu para a cidade de Nova Trento onde fizeram grande caridade. Em 1903, a já chamada Paulina, foi eleita pelas Irmãs a Superiora Geral para toda a vida. Foi então que ela deixou a cidade de Nova Trento para ir à São Paulo cuidar dos ex-escravos idosos e das crianças órfãs. A Congregação já estava nos estados de Santa Catarina e São Paulo e não parou de crescer, portanto as Irmãs decidiram assumir a missão evangelizadora na educação, catequese e no cuidado das pessoas idosas, doentes e das crianças órfãs.

No ano de 1918, Santa Paulina foi chamada a viver na Casa Geral e lá ela testemunha uma vida de santidade e auxilia na elaboração da História da Congregação e no resgate do Carisma fundante. Aos 77 anos ela chega a falecer, no dia 9 de julho de 1942 com fama de santidade, já que vivera em um grau heroico de virtudes, fé, esperança e caridade.