Oração para Nossa Senhora de Guadalupe

A oração para Nossa Senhora de Guadalupe é uma súplica pelo amor e amparo de mãe em meio a situações de tristeza e agonia nas quais nos encontramos. Pedimos a Virgem Maria que nos proteja em seu manto maternal como mãe de Cristo e de todos nós. Esta oração é ainda um pedido para que nenhum mal nos aconteça e que coisa alguma venha a afligir nossos corações. Que sejamos guiados para o amor de Jesus que nele e com Ele possamos encontrar a graça eterna da salvação. Os desejos de sermos mensageiros e propagadores da palavra de Deus também ficam explícitos nesta prece.

Oração

Santa Maria, mãe do Cristo vivo, que por nós morreu e ressuscitou, é a ti que buscamos e clamamos para que venha com seu amor de mãe de todos nós pecadores nos acalentar e nos amparar em nossos momentos de tristeza e aflição. Pedimos a ti que deixe fluir em nós o amor de Cristo e que Nele e por Ele possamos encontrar a divina graça da salvação e ter uma vida plena ao lado do Pai. Faz de nós teus mensageiros, mensageiros e propagadores da palavra e do amor de Deus. Amém!

História de Nossa Senhora de Guadalupe

Oração para Nossa Senhora de Guadalupe

Imagem: Reprodução

O dia em homenagem à Nossa Senhora de Guadalupe, que é padroeira do México e considerada pela Igreja Católica como Imperatriz da América, é 12 de Outubro. Sua história começa quando são relatadas aparições da mesma para um índio da tribo Nahua, no México, Juan Diego Cuauhtlatoatzin.

As aparições, datadas entre os anos de 1545 e 1550, são relatadas num documento indígena da autoria de Antônio Valeriano. A primeira aparição presenciada pelo índio Diego ocorreu quando o mesmo se encontrava próximo à colina Tepeyacac e ouviu de seu ponto mais alto uma voz chamando por ele, gritando “Juanito! Juan Diego!” Ele, curioso, subiu até o topo da montanha e se deparou com uma mulher iluminada, com altura sobre humana e vestes brilhantes que o chamava para perto de si. Ao aproximar-se da mulher, a mesma então disse a Diego: “Que fique entendido a ti, que és o menor de meus servos, que eu sou a Virgem Maria. E é de meu desejo que seja aqui erguido um templo em consagração a Nossa Senhora de Guadalupe. Vai ao palácio do teu bispo no México e o informa de acordo com o que te digo”.

Mediante a vontade da Virgem que lhe aparecera, Diego foi imediatamente entrar em contato com o bispo e colocou-se de joelhos perante ele que, naquele primeiro encontro, não lhe deu atenção alguma. Diego voltou para relatar o ocorrido à Santa Maria e esta ordenou que o índio voltasse ao palácio e insistisse. O bispo então, intrigado, argumentou afirmando que necessitava de provas sobre o que o índio lhe informava. Na terceira vez que a Virgem Maria se mostrou para Diego esta lhe disse: “Está bem meu filho, voltarás aqui amanhã e levarás a prova que o bispo lhe pede. Assim ele acreditará”.

O índio, porém não retornou ao encontro com a Virgem, pois seu tio encontrava-se extremamente doente, sendo assim Diego desviou o caminho para que não encontrasse com a mesma, e mesmo assim ela se mostrou outra vez para ele e Diego, nervoso, tentou explicar o que havia ocorrido. A Santa por outro lado mandou que se acalmasse, pois seu tio já estava curado e esta então era a prova a qual o bispo necessitava para acreditar, por fim, em sua história.