Oração para Nossa Senhora das Graças

Nossa Senhora das Graças foi a santa que apareceu no ano de 1830 e trouxe consigo a Medalha Milagrosa, entregando-a a uma religiosa que deveria passar adiante o que ela havia dito. O primeiro que abençoou e aprovou a Medalha foi o Papa Gregório XVI, quem também a conservou junto ao seu crucifixo. Acredita-se que carregar a Medalha de Nossa Senhora das Graças é professar o dogma da Imaculada Conceição e crer na proteção da santa contra os perigos temporais e espirituais.

Oração

Súplica – Ó Imaculada Virgem Mãe de Deus e nossa Mãe, ao contemplar-vos de braços abertos derramando graças sobre os que vo-las pedem, cheios de confiança na vossa poderosa intercessão, inúmeras vezes manifestada pela Medalha Milagrosa, embora reconhecendo a nossa indignidade por causa de nossas inúmeras culpas, acercamo-nos de vossos pés para vos expor, durante esta oração, as nossas mais prementes necessidades(momento de silêncio e de pedir a graça desejada).

Concedei, pois, ó Virgem da Medalha Milagrosa, este favor que confiantes vos solicitamos, para maior glória de Deus, engrandecimento do vosso nome, e o bem de nossas almas.
E para melhor servirmos ao vosso Divino Filho, inspirai-nos profundo ódio ao pecado e dai-nos coragem de nos afirmar sempre verdadeiros cristãos. Amém.

Rezar 3 Ave-Marias.
– Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós.

Oração Final – Santíssima Virgem, eu creio e confesso vossa Santa e Imaculada Conceição, pura e sem mancha. Ó puríssima Virgem Maria, por vossa Conceição Imaculada e gloriosa prerrogativa de Mãe de Deus, alcançai-me de vosso amado Filho a humildade, a caridade, a obediência, a castidade, a santa pureza de coração, de corpo e espírito, a perseverança na prática do bem, uma santa vida e uma boa morte. Amém.

História de Nossa Senhora das Graças

Oração para Nossa Senhora das Graças

Imagem: Reprodução

Nossa Senhora das Graças apareceu a uma moça da comunidade das Filhas da Caridade, Catarina Labouré. Ela era uma noviça humilde, inocente e muito unida a Deus. Ao perder sua mãe, escolheu a Virgem Santíssima para o papel de maternidade. A aparição da santa ocorreu entre os dias 18 e 19 de julho em 1830. Nossa Senhora a chamou à capela e conversou com a irmã por algum tempo, predizendo o que aconteceria futuramente e enchendo a jovem de carinho e consolo. A santa tornou a aparecer outras vezes, porém a mais importante delas foi no dia 27 de novembro. Neste dia, ela apareceu a Catarina enquanto a noviça fazia suas orações na Capela da Comunidade. A Virgem se mostrou ao lado da epístola e foi para trás do Sacrário, lá ficou de pé sobre um globo e suas mãos estavam sustentando outro globo. A visão fora esplendida e Catarina relatou que uma voz no interior de seu coração lhe falou “Eis o símbolo das graças que derramo sobre as pessoas que mais pedem”. A santa entregou nas mãos da irmã o globo que se transformou na Medalha Milagrosa.

A Medalha Milagrosa

Quando o globo se desfez nas mãos da irmã Catarina, um quadro um pouco oval tinha algumas palavras escritas, dizendo “Ó Maria, concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós.” E então ela escutou uma voz dizendo para que uma medalha fosse cunhada por este modelo, pois as pessoas que a usassem com confiança receberiam grandes graças. Atrás se encontrava a letra M encimada por uma cruz, sendo que por baixo se encontravam dois corações, o de Jesus e o de Maria. O do filho de Deus estava cercado por uma coroa de espinhos, já o de sua imaculada mãe estava atravessado por uma espada.